quinta-feira, 22 de abril de 2010

A coruja e a lua - Aisha




A coruja despertou,

cantou a beleza da lua

na noite clara que se formou.


O dia era passado,

passado também foi o seu amor,

pois, a lua se havia minguado

com medo de sentir dor.


Pobre lua...

Não sabe que a coruja

lhe segue fase por fase,

temendo que se esconda ou fuja

pelas esquinas que dobram ruas

nas movimentadas cidades...


Mas a lua segue em sua sina

rodando o mundo que roda também,

Ilumina a noite e a todos fascina

mas sua liberdade não dá a ninguém.


Chora a coruja em seu canto noturno,

pois, sabe que ama

o amor que não tem...

*Aisha*

Um comentário:

  1. Linda Poesia Aisha, muitos amam o amor que não tem...
    Parabéns!
    Bjs
    Mila

    ResponderExcluir